terça-feira, 10 de maio de 2011

Qual a origem da raiva?

A Raiva, que é a geradora de impulsos violentos contra os que nos ofendem, fere ou invadem a  dignidade dos indivíduos e é a responsável por um sem número de atos de violência, incluindo a auto-violência, ou seja, contra nossa própria saúde.


A Raiva pode variar de pessoa para pessoa pois depende, basicamente, da valoração que a pessoa dá aos objetos do mundo à sua volta e dos traços de sua personalidade.

Quando a pessoa não percebe o que está acontecendo, alimenta a raiva (manifestações externas ou internamente), com isto acaba criando um círculo vicioso.



Raiva não controlada pode causar diversos problemas físicos entre eles os problemas cardiovasculares, estomacais e dermatológicos. Pois os efeitos acabam se acumulando no corpo, com isto originando as doenças PSICOSSOMÁTICAS, que são originadas das emoções negativas, veja abaixo.


















  MODERNIDADE x ESTRESSE   




vivemos constantemente correndo, com isto sem tempo de elaborar as qustões emocionais vividas  



a RAIVA a caba sendo considerada
uma VÁLVULA PREJUDICIAL de ESCAPE





















COMO ENFRENTAR a RAIVA


COMO DEMONSTRAR SENTIMENTOS









Muitas vezes confessar medos e fraquezas é visto como fraqueza, pois alguns acham que pode sinalizar insegurança.

Paradoxalmente, sabemos que os mais seguros e confiantes são os que têm menor receio de confessar seus temores e falhas. 

Somos condicionados a não dizer o que sentimos, principalmente se esse sentimento for percebido como algo que nos inferioriza.

PASSO A PASSO DA ELABORAÇÃO DAS EMOÇÕES NEGATIVAS, OU SEJA APRENDENDO A TIRAR TANTAS MÁSCARAS:

1. Demonstre seus sentimentos, pois eles preparam o corpo para uma reação.
   Sua repressão seja qual for, é tremendamente maléfica para o organismo e deve ser evitada tanto quanto possível.

2. Por outro lado, tente controlar a expressão das suas emoções, isto constitui um dos recursos mais potentes para o equilíbrio pessoal e para relacionamentos interpessoais satisfatórios.
  Na verdade, temos regras sociais para expressar os nossos sentimentos de forma a não ferir ninguém, nem a nós mesmos.

3. Não bloqueie seus sentimentos, não "engula o choro" e nem se envergonhe por emocionar-se diante de uma cena de amor.
   A forma como as pessoas expressam seus sentimentos constitui-se numa competência social muito importante.

4. Demonstre seus sentimentos com espontaneidade e adequação pois o corpo conserva dentro de si a energia produzida pelas emoções.
   Se ela não é aproveitada, permanece estagnada em alguma parte do nosso corpo, em geral no ponto mais frágil de cada um de nós, causando as doenças psicossomáticas.

5. Não se envergonhe da tristeza. A dor revelada, diminui as tensões geradas pelas perdas.
   As pessoas que suportam a dor sozinhas, adoecem com mais freqüência e de maneira mais grave que aquelas que verbalizam as suas dores.

6. Compartilhe também as coisas boas, pois confessar o que sentimos é bom para o corpo e para a alma.

7. Fale. Utilize-se da "palavra", pois quando bem utilizada, no tom certo e na hora certa, é uma excelente forma de expressar o que nos vai na alma.
   Saiba também que a palavra por si só não basta para dizer o que sentimos, mas é um valioso auxiliar.

8. Quando o sentimento for de raiva, use toda a energia para comunicar com firmeza e determinação o que está sentindo.
  Não é preciso usar a agressividade ou a violência para que acreditem em você.

2 comentários:

  1. Sou uma pessoa que pode ser classificada como pavio curto, como você disse. Trabalhei anos na minha psicóloga. Atualmente eu não estouro fácil, mas sinto uma raiva queimando meu rosto. Os episódios que fazem isto comigo são: injustiça e quando perco o controle da situação. De maneira geral sou muito extrovertida e engraçada. Porém, quando a coisa "pega" sobe tão rápido que minha expressão muda. Como expressar que não gostei de forma mais comedida e sem sacrificar meu coração???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Creio que seu caso é necessário um processo contínuo de ANÁLISE, pois enquanto você não descobrir a origem do gatilho da "raiva", ela será uma cte em sua vida, e está descoberta acontecerá com o processo de AUTOCONHECIMENTO = da Análise descobrindo a raiz é mais fácil mudar as crenças(este sentimento demonstra a indignação da sua psique ou emoção com situações que forgem do seu controle)
      Uma outra dica que trará o AUTOCONHECIMENTO é o curso de formação TEÓRICA em PSICANÁLISE
      duração de 2 anos,
      na sala de aula só trabalhamos com 25 alunos.
      PROCEDIMENTOS para MATRÍCULA
      1 - No ato da matrícula deverá se efetuado os seguintes pagamentos:
      - Mensalidade com material didático -- valor de R$ 220,00.
      - Taxa de Matrícula -- valor de R$ 150,00
      2 - Início mês de MARÇO/2012 -- dias 26 e 28 de março (2ª e 4 ª feira) das 18h:50minutos até às 22 horas, sempre dois encontros mensais

      Caso tenha algumas dúvidas, por favor entre nos no link’s abaixo, pois creio que Você obterá esclarecimento de várias dúvidas sobre a formação em PSICANÁLISE, oferecida pela nossa ESCOLA...

      http://cassiarodriguespsicanalise.blogspot.com
      um abraço Cássia Rodrigues

      Excluir